domingo, 8 de fevereiro de 2009

Sentimento líquido

Somos engraçados. Às vezes, nos desesperamos com coisas simples; às vezes, derrubamos poucas lágrimas quando ocorrem grandes tragédias em nossas vidas. Só que há muito mais por trás disso, que as pessoas não percebem, e nos julgam indiferentes quando não demonstramos tristeza na intensidade adequada ao momento.
Eu tenho uma caixinha aqui dentro. Uma caixinha pulsante e vibrante, ritmada. É ali que moram todos os meus sentimentos. Todos eles. E foi hoje que ela explodiu. De novo. Depois de muito tempo.

As tragédias foram vindo, as tristezas chegando, junto com os medos, apreensões, anseios. Todos eles foram entrando na minha caixinha, um novo lar para eles, sem o meu consentimento. Eu paguei por isso. Mas paguei pouco na época. Em todo esse tempo, sentimentos tristes e confusos foram habitando a minha caixinha e eu paguei apenas poucas lágrimas. Poucas lágrimas perto da intensidade desses sentimentos. Mas, afinal, minha caixinha ainda estava vazia, pronta pra receber tudo. Estava firme, sedenta. Assim, fui aguentando tudo, as mudanças, sua indiferença, desprezo, medo, e derrubei poucas lágrimas!Pouquíssimas lágrimas! Isso era uma festa pra eles. Mas a festa acabou.

Hoje, a festa acabou. Apenas um grito comigo, uma coisa insignificante foi suficiente para que eu derrubasse uma infinidade de lágrimas. Derrubei todas as lágrimas que podia. Sequei. Por um acontecimento tão pequeno? Todos pensaram que eu era louca. Depois de tanta coisa sem derrubar uma lágrima, chorar tanto por isso?

Mas ninguém sabia. Ninguém sabia que o ocorrido de hoje gerara pouquíssimas lágrimas. Lágrimas que funcionaram apenas como um gatilho, que rompeu com a minha caixinha secreta e liberou todas lágrimas que haviam lá. Jorrei sentimentos pelos olhos. Jorrei dor pelos olhos. Transbordei. Chorei todas as lágrimas que antes não havia chorado. Minha caixinha estourara. Foi a gota d'água. Ela não aguentou. Estava cheia demais.
Os sentimentos convertidos em uma água salgada, lavaram não só minha face, mas também meu coração. Transbordei sentimentos líquidos. Libertei-me.

Agora, possuo uma caixinha nova. Vazia. Pronta pra tudo. De novo.

10 comentários:

  1. 1° ~~ ~~~~~~
    "
    Agora, possuo uma caixinha nova. Vazia. Pronta pra tudo. De novo.
    "
    :D

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Chorar tem sua função. Eu só consigo chorar por compaixão, isso não adianta para resolver meus problemas. Meu jeito de aliviar o coração é dormir, aí eu acordo com uma caixinha nova! rsrs

    ResponderExcluir
  4. Que bom que agora tem uma caixinha nova.
    Que ela fique cheia de coisas boas!!!

    Bjo procê.

    ResponderExcluir
  5. Boa sorte com a sua caixinha nova! ^^
    Beijo! =*

    ResponderExcluir
  6. Que demais! Você que escreveu?
    Agora que vi os selos que você me indicou mês passado. Coloquei lá no meu blog! To acompanhando o seu. Obrigada por estar sempre no meu. Um beijo! :*

    ResponderExcluir
  7. Não conseguimos controlar certos sentimentos, controlar a nossa 'caixinha'. É normal isso. Só não temos que acumular todos os sentimentos juntos em um mesmo lugar, porque eles podem simplesmente explodir, assim como aconteceu com você!


    beijo ;*

    ResponderExcluir
  8. Oie, adorei seu blog, o jeito que escreve e a historia da caixinha...
    Voltarei mais vezes...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Hmm... Belo texto! Descrever em palavras sentimentos não é algo fácil. Mas talvez seja melhor você jogar a 'caixinha' fora. Não se deve aprisionar sentimentos, mesmo que estes sejam os piores. Devem sempre serem colocados para fora, cuspidos ou declamados. Esse é meu ponto de vista, claro! Adorei o texto, me vi naquela cena. Encontrei o seu blog através do blog da Rebeca!! Agora vou acompanhar. =)
    Beijos!

    http://madeinchinee.blogspot.com/

    ResponderExcluir