sábado, 14 de fevereiro de 2009

Agora é comigo.

Hoje olhei para o céu, e as nuvens confirmaram o que eu já pensava. Vai ser difícil.
Mudar nunca é fácil. Mas, geralmente, é necessário. Parei, então, para analisar.
Desde pequenos, todos sonham em sair de casa, morar sozinhos, atingir a tão almeijada liberdade. Só que todos só sonham. Na hora em que ir embora é preciso, você percebe que as coisas não são bem assim.
Eu fecho então a porta de casa, e o mundo me trás uma infinidade de portas novas. Eu pergunto, então "Mãe, que porta devo escolher?" Mas mamãe já não está ali o tempo todo, de prontidão.
Agora, é comigo. Eu devo escolher qual é a porta mais segura, ou se devo simplismente entrar pela janela.
Eu sei que a minha família nunca irá me abandonar. Mas, vocês sabem, não é a mesma coisa.

Cheguei a conclusão, então, que todos sempre sonharam com uma liberdade inexistente. Adquirir a independência não é algo simples. Junto com a liberdade vêm novas responsabilidades. Chegam novos problemas, até então desconhecidos. Preciso descobrir novas soluções.

Sou a Chapéuzinho Vermelho. Pego minha cestinha, e vou percorrendo meu próprio caminho, sozinha. Sozinha. Só eu e Deus. Tomando cuidado para o lobo mau, ou os lobos maus, não me pegarem. Me torno indefesa, pois papai e mamãe não me protegem o tempo todo, agora. É hora de aprender a me proteger sozinha.
Sou uma aventureira. Sem mapa. Encontrarei novas trilhas e atalhos, caminhos desconhecidos. Encontrarei novos buracos, e muitas pontes serão inseguras.
Darei uma de cartógrafa, e, assim, desenharei meu próprio mapa, com novas localizações, e novos pontos importantes. Minha casa, agora, será desenhada em outro lugar.
Serei uma química. Formularei novos produtos, descobrirei novas fórmulas. Só que estarei sem luvas, e sem jaleco. Indefesa.
Poderei ser tudo, mas, tenho que admitir, estarei indefesa. Vou descobrir coisas novas. Vou enfrentar o que era, até então, desconhecido para mim. E o desconhecido dá medo. Dá sim. Mas mudar é preciso. E descobrir, também.

Meus pais abrem a porta de casa. A hora chegou. "Agora é com você, minha filha."
E lá vou eu, com meus lápis e papéis, desenhar meu novo caminho. Agora, é comigo.

15 comentários:

  1. Gente, não vou poder responder os comentários hoje, mas segunda respondo a todos :D

    ResponderExcluir
  2. Todo mundo um dia tem que seguir em frente sozinho ne?
    Muito bom!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. nossa! Perfeito.
    Todos passamos por isso um dia :)
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Essa hora, de caminhar com os próprios pés, sempre chega. Tento desde já ser mais independente para não sofrer muito com a falta dos meus pais no futuro. :/
    Boa sorte pra ti Nath, Beijoos =*

    ResponderExcluir
  5. Belo texto...

    É difícil, meio penoso, mas é ótimo quando aprendemos a caminhar com as próprias pernas.

    Parabéns pelo Blog.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi...td bem???

    Visita o meu blog, se gostar, comente e fique acompanhando. Será um prazer ter vc aqui.
    Copie e cole o link

    http://joelitontododia.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. caraca, é verdade, quando ainda estamos na barra da saia da mãe, nós queremos conhecer o mundo, dewscobrir coisas novas, alcançar a liberdade, mais é como você mesma falou, a liberdade tem seu preço, ela abre muitas portas, mais não sabemos se elas são certas. E nem sempre teremos papai e mamãe pra passar a mão e nossas caeças.
    Mais curti o que você disse por último, podemos ser tudo, mais somos indefesos.


    e respondendo seu comentário que você deicou lá no meu, amizade nos dias de hoje realmente ta muito difícil, às vezes não damos conta da amizade, mais faz parte. ;*

    ResponderExcluir
  8. Eu quero sim, voar . Me porrar nas arvores,cair e sim, levantar por conta propria .

    Faz parte da vida.

    Beijoos =)
    Favoritaada ")

    ResponderExcluir
  9. Seu texto foi excelente. Adorei a aprte de ser a chapeuzinho vermelho, exposta aos lobos maus. Afinal de contas, é preciso colocar o vilão no plural. Os vilões. As armadilhas da vida hoje são muitas, umas pequenas, outras enormes. Buracos prufundos ou simples tropeços superficiais. O desafio é estar pronta para todos, sem distinção. Mas é a lei das leis, mudar-se. Consta em regra, alterar os próprios regulamentos. Dar a volta, dar um salto, um passo firme, buscar novos percurssos. Percursos que talez deêm certo, talvez precisem ser reconsiderados. Mas que te farão madurecer sempre, a cada curva da estrada.

    ResponderExcluir
  10. Não acredito em mudanças. Não mudo, nunca vou mudar. Sou um escritor e filosofo que ainda nada sabe do mundo. Nathália, um grande abraço,

    R.Vinicius

    ResponderExcluir
  11. Queremos tanto a liberdade,sair da cas dos pais..E quando chega a hora ficamos assustados,com medo e voltamos atrás..
    É estranho!!

    ;*

    ResponderExcluir
  12. olA
    TU VISITOPU MEU BLOG...MAS ERA UM BLOG DESATIVADO..

    LOUCONAUSOUEU....
    HEHEHE

    parabens pelo blog..
    DESCURPE A "CAGADA"
    e t convido a ir no meu..

    www.bagageirodocurioso.spaceblog.com.br

    será bm vind lá

    abraço e boa semana com carnaval a vista!

    ResponderExcluir
  13. Valew pelo comentário lá no blog.
    Belo post, gostei da metáfora. Parabéns.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Ooie,passando rapidinho por akii pela 1ª vez e gostei muiito da forma em que vc escreve.
    Realmente chega uma hora,um momento em que temos q seguir nossa jornada sóziinhos seguir no vagão de um trem solitáriio mas é a VIDA ...

    Siim gosteii muito na parte da Chapeuziinho Vermelhoo...


    Bejiim

    Mika

    ResponderExcluir